Empresa de Crachá em pvc em Boa Ventura (Itaperuna) RJ é na CardPress!

Home / Crachá em pvc / Empresa de Crachá em pvc em Boa Ventura (Itaperuna) RJ

 

Banner Crachá de Identificação - CardPress

O crachá de identificação gera mais valor para sua empresa, aumenta a segurança do ambiente e promove interação entre seus colaboradores e clientes, além da possibilidade de marcação de ponto eletrônico através das tecnologias disponíveis como código de barras, tarja magnética, aproximação (mifare, RFID...)


Quer uma estimativa de quanto custará seu projeto de cartões PVC?

 

Veja as ofertas que temos de Empresa de Crachá em pvc em Boa Ventura (Itaperuna) RJ:

 

Você pode nos enviar pedidos conforme a sua necessidade, não é obrigatório enviar a quantidade total para produção.

Como comprar crachás em PVC

Como comprar crachás


Preencha os campos abaixo, e ligamos pra você:

 

Produtos relacionados

Empresa de Crachá em pvc em Boa Ventura (Itaperuna) RJ. Aqui você pode compartilhar seu projeto para agilizar a captura de dados.



Estados atendidos pela CardPress



Notícias da última hora:

    • 20/03/2019 22:04
      Justiça concede liberdade provisória para suspeitos de comercializar anabolizantes em Aracaju
      Eles vão precisar cumprir medidas cautelares. Foram soltos nesta quarta-feira (20) os dois homens suspeitos de comercializar anabolizantes em Aracaju. Eles haviam sido presos na última terça-feira (19). O juiz Rômulo Dantas Brandão decidiu na audiência de custódia pela liberdade provisória para os dois, que ainda precisam cumprir medidas cautelares. Eles foram presos após uma investigação de seis meses do Departamento de Narcóticos (Denarc) e com eles foram apreendidas mais de 700 unidades de anabolizantes que seriam comercializadas em Aracaju.
    • 20/03/2019 22:04
      VÍDEOS: MS1 Campo Grande de quarta-feira, 20 de março
    • 20/03/2019 22:03
      Três vereadores suplentes tomam posse na Câmara de Ipatinga em substituição a colegas presos em operação do Gaeco
      Vereadores substituem Paulo Reis (PROS), Luiz Márcio Rocha (PTC) e Rogério Antônio Bento (ex-PSL), investigados no esquema de manipulação de salários de servidores da cidade. Foram empossados na tarde desta quarta-feira (20) três vereadores suplentes na Câmara Municipal de Ipatinga, que assumem os gabinetes de parlamentares que estão presos e são investigados na operação Dolos, que apura esquema de manipulação de salários de servidores da cidade. Tomaram posse Adelson Fernandes (PROS), Gustavo Nunes (PTC) e Werley Glicério (PSD); eles substituem Paulo Reis (PROS), Luiz Márcio Rocha (PTC) e Rogério Antônio Bento (ex-PSL), respectivamente. A posse dos suplentes ocorre em razão dos 30 dias já passados das prisões dos vereadores investigados na operação Dolos, desencadeada pelo Gaeco em fevereiro. No caso de Adelson Fernande, a vaga é definitiva, já que Paulo Reis, que está foragido da Justiça, renunciou ao mandato. Gustavo Nunes e Werley Glicério ficam temporariamente no cargo, caso os vereadores presos na operação consigam direito à liberdade e não sejam cassados pela Câmara. Além de Paulo Reis, Luiz Márcio e Rogério Antônio, são investigados na operação os vereadores José Geraldo de Andrade (PT do B) e Wanderson Gandra (PSC), que estão presos. Uma comissão processante foi instaurada na Câmara Municipal para avaliar as condições dos vereadores investigados. Em depoimento ao Gaeco, vereador afirma que manipulação de salários de servidores sempre ocorreu em Ipatinga Outras posses de suplentes O procurador de justiça da Câmara Municipal, Adalton Lúcio, explicou que a posse de dois outros suplentes pode ocorrer. No caso de Wanderson Gandra, no próximo dia 23 de março vence o prazo dos 30 dias da prisão. A expectativa é que o suplente Fábio Pereira dos Santos (PSC), tome posse. ?A Câmara na próxima semana, ainda em reunião ordinária, dará posse ao vereador Fábio, para que ele possa compor o plenário. Isso é importante para a Câmara, por conta do trabalho que cada gabinete desenvolve e trabalha até dentro das próprias comissões permanentes, que tem a missão de analisar projetos, orçamento?. Sobre a prisão de José Geraldo de Andrade, o procurador revelou que já foi solicitado às autoridades do Gaeco uma cópia do processo investigativo movido contra o parlamentar. Dessa forma, com a documentação em mãos, poderá ser aberta um parecer sobre a denúncia e proceder com a posse de um suplente. Entenda o caso A operação Dolos é uma ação em conjunta do Ministério Público, Grupo de Atuação de Combate ao Crime Organizado (Gaeco), polícias Civil e Militar. Segundo as investigações, vereadores de Ipatinga contratavam assessores e exigiam deles parte do salário de volta. Vereadores manipulavam salários de servidores em Ipatinga para enriquecimento e fortalecimento nas eleições, dizem investigadores Vereador preso pelo Gaeco é denunciado por eliminar provas de esquema de manipulação de salários de servidores em Ipatinga De acordo com o MP, o esquema para arrecadar a verba acontecia de mais de uma maneira. A primeira delas no recebimento e entrega de valores em espécie ao representante do Legislativo por parte do funcionário contratado. A segunda modalidade era a retenção do cartão bancário, com o repasse de pequeno valor ao funcionário e manipulação na folha de ponto; muitos destes funcionários, segundo o Gaeco, eram "fantasmas". A terceira, o vereador determinava a realização de empréstimos bancários por parte de servidores com o saque e transferência para contas de interpostas pessoas que eram usadas como laranjas visando maquiar o real destino dos valores. De acordo com o Ministério Público, além do enriquecimento ilícito, o dinheiro exigido dos assessores servia para fortalecimento dos vereadores em bairros, visando as eleições municipais. Ao todo, 12 pessoas foram denunciadas na operação, entre vereadores, assessores, contadores, corretores de imóveis e comerciantes. Uma Comissão Processante (CP) foi instaurada na Câmara Municipal para avaliar a condição dos vereadores investigados na operação Dolos, se houve quebra de decoro por parte dos parlamentares e, por consequência, tratar da manutenção deles no quadro de vereadores da Câmara. A comissão terá 90 dias para apresentar um relatório e após a apresentação haverá votação no plenário para eventual cassação dos mandatos dos parlamentares. Veja mais notícias da nossa região em G1 Vales de Minas Gerais.
    • 20/03/2019 22:02
      Reforma da previdência dos militares
      Presidente Jair Bolsonaro entrega projeto na Câmara; no Ministério da Economia, técnicos falam sobre o texto Reforma da previdência dos militares Presidente Jair Bolsonaro entrega projeto na Câmara; no Ministério da Economia, técnicos falam sobre o texto Bolsonaro entrega proposta de aposentadoria dos militares e pede 'celeridade' ao Congresso. Reestruturação de carreiras de militares custará R$ 86,8 bilhões em 10 anos, diz governo. Reforma da previdência dos militares prevê economia líquida de R$ 10,45 bi em 10 anos, diz governo. Proposta será analisada primeiro por uma comissão especial e, depois, pelo plenário da Câmara. Em fevereiro, governo também enviou PEC que trata da reforma da Previdência.. Projeto engloba PMs e bombeiros e prevê economia de R$ 52 bilhões para estados em 10 anos
    • 20/03/2019 22:02
      Policial goiano é convidado para curso da SWAT e vaquinha quer custear viagem aos EUA
    • 20/03/2019 22:01
      Homem é preso por tráfico de drogas pela terceira vez na Zona Sudeste de Teresina
    • 20/03/2019 22:01
      Trabalhador morre e outro fica ferido após caírem de andaime em Camboriú
    • 20/03/2019 21:59
      VÍDEOS: MS1 Corumbá de quarta-feira, 20 de março
    • 20/03/2019 21:59
      Garota é resgatada pelo pai após ser mantida em cárcere privado por seis meses; família acusa namorado
    • 20/03/2019 21:58
      Homem é preso após quebrar vidraça de Câmara de Altamira a pedradas