Comprar Crachá em São João do Sul SC é na CardPress!

Home / Crachá / Comprar Crachá em São João do Sul SC

 

Banner Crachá de Identificação - CardPress

O crachá de identificação gera mais valor para sua empresa, aumenta a segurança do ambiente e promove interação entre seus colaboradores e clientes, além da possibilidade de marcação de ponto eletrônico através das tecnologias disponíveis como código de barras, tarja magnética, aproximação (mifare, RFID...)


Quer uma estimativa de quanto custará seu projeto de cartões PVC?

 

Veja as ofertas que temos de Comprar Crachá em São João do Sul SC:

 

Você pode nos enviar pedidos conforme a sua necessidade, não é obrigatório enviar a quantidade total para produção.

Como comprar crachás em PVC

Como comprar crachás


Preencha os campos abaixo, e ligamos pra você:

 

Produtos relacionados

Comprar Crachá em São João do Sul SC. A entrega mais rápida do Brasil.



Estados atendidos pela CardPress



Notícias da última hora:

    • 19/11/2019 01:53
      Semana da Saúde Bucal acontece em Macapá com barbearia e dentista gratuitos à comunidade
    • 19/11/2019 01:50
      VÍDEOS: JAP2 de segunda-feira, 18 de novembro
    • 19/11/2019 01:42
      Sem investimento, moradores juntam dinheiro e constroem base da PM em Miranorte
    • 19/11/2019 01:40
      Penha pode ter falta de água nesta terça-feira (19)
      Manutenção em estação de tratamento será feita na madrugada desta terça. Normalização do abastecimento deve ocorrer durante o dia. A concessionária Águas de Penha, no Litoral Norte, comunicou que pode haver baixa pressão ou mesmo falta de água na cidade ao longo da terça-feira (19). Isso porque será feita uma manutenção na madrugada desta terça na Estação de Tratamento de Água (ETA) que atende o município. A normalização do abastecimento deve ser gradativa durante o dia. Os bairros São Cristóvão e São Nicolau possuem sistema independente e não serão afetados. A manutenção na estação de tratamento será feita pela Companhia Catarinense de Águas e Saneamento (Casan). A concessionária pede que os consumidores façam uso consciente. Caso haja desabastecimento, a água pode ficar turva após a normalização. Isso ocorre porque nas paredes das tubulações há acúmulo de sais. Quando o abastecimento volta, a variação na velocidade da água pode desprender esses sais, que modificam a cor e turbidez. Em caso de dúvidas, o morador pode telefonar para 0800-595-4444 ou enviar mensagem via Whatsapp para o número (47) 99234-1414. Veja mais notícias do estado no G1 SC
    • 19/11/2019 01:37
      Carga de cigarros é apreendida em caminhão durante operação em São Gonçalo dos Campos
      Ação das polícias Federal e Militar aconteceu nesta segunda-feira (18). Veículo estava escondido em galpão, na BA-502. Ninguém foi preso. Operação apreende caminhão com cigarros em Galpão em São Gonçalo dos Campos Uma carga de cigarros foi apreendida dentro de um caminhão nesta segunda-feira (18), durante uma operação da Polícia Federal e da Polícia Militar, na cidade de São Gonçalo dos Campos, a 100 quilômetros de Salvador. Segundo informações da Polícia Federal, o caminhão estava escondido dentro de um galpão, na BA-502, no povoado da Cruz. O material apreendido foi levado para a delegacia do órgão, em Feira de Santana. Não há detalhes sobre o dono da carga de cigarros e da quantidade do material apreendido. Veja mais notícias do estado no G1 Bahia.
    • 19/11/2019 01:34
      Prédios públicos Tucuruí ficam às escuras após Celpa cortar energia alegando falta de pagamento
      A empresa cortou a energia de seis prédios públicos até o momento. A previsão é que os cortes continuem em outros setores até o pagamento das contas. Funcionários da rede Celpa promoveram um mutirão para cortar a energia de prédios públicos municipais nesta segunda-feira (18), em Tucuruí, no sudeste do Pará. A prefeitura do município se pronunciou e informou que os cortes são ilegais. De acordo com a Celpa, a prefeitura foi notificada dos cortes que iriam acontecer devido a falta de pagamento. Logo após a notificação, funcionários da concessionária de energia cortaram a energia de prédios como o Ginásio Poliesportivo, Estádio Navengantão, Secretaria de Educação, Secretaria de Obras, Biblioteca e a própria sede da prefeitura. A previsão é que os cortes continuem em outros setores até o pagamento das contas. Em nota, a Prefeitura de Tucuruí declarou que os cortes efetuados pela Celpa são ilegais, devido a dívida alegada pela concessionária já ter sido paga dentro do prazo legal estabelecido. Ainda, a prefeitura disse que funcionários da Celpa se recusaram a receber os comprovantes de pagamento. A prefeitura informou ainda que os cortes na área da Educação também são ilegais, por se tratar de um serviço essencial. Um pagamento pendente da Secretaria de Obras foi confirmado pela prefeitura, que declarou que não houve emissão da fatura pela Celpa. Um boletim de ocorrência policial foi registrado pela assessoria jurídica da prefeitura para a tomada das medidas judiciais cabíveis. A concessionária de energia Celpa declarou, em nota, que cumpriu regularmente todas as normas regulatórias relativas a suspensão do fornecimento da Prefeitura de Tucuruí.
    • 19/11/2019 01:33
      Leilão com obras de arte é realizado para arrecadar fundos para o Museu de Arte Contemporânea do RS
    • 19/11/2019 01:32
      Limpeza de banheiros públicos é suspensa por falta de pagamento da Prefeitura de Ribeirão Preto
    • 19/11/2019 01:27
      Criança morre em acidente entre carro e ônibus em Campinas
      Mãe e outros dois filhos foram socorridos e levados ao Hospital Mário Gatti. Uma criança morreu e outras duas ficaram feridas em acidente entre um carro e um ônibus na Rua Sérvulo Henrique Barreto, na região do Cidade Singer, em Campinas (SP), na noite desta segunda-feira (18). De acordo com o Samu, a mãe das crianças foi socorrida e levada ao Hospital Mário Gatti junto dos filhos, enquanto o pai recusou atendimento e ficou no local da ocorrência. De acordo com a Polícia Militar, o acidente ocorreu por volta das 20h30, e uma das três crianças que estava no veículo morreu no local. A via é paralela da Rodovia Santos Dumont (SP-065). Não há informações sobre o estado de saúde das vítimas. A perícia foi acionada e o caso será registrado no plantão da 2ª Delegacia Seccional. Veja mais notícias da região no G1 Campinas
    • 19/11/2019 01:21
      Polícia cerca universidade de Hong Kong, ocupada por manifestantes
      Local se tornou um campo de batalhas violentas. Polícia ameaçou usar armas de fogo se voltar a ser atacada com arco e flecha. Manifestante pedem anistia de presos. Polícia de Hong Kong cerca universidade ocupada por manifestantes A polícia de Hong Kong cercou a universidade ocupada por manifestantes que se tornou um campo de batalhas violentas nos últimos dias. A tempestade em Hong Kong vem do chão. Os guarda-chuvas protegem do gás lacrimogêneo. Ao mesmo tempo em que encurrala, o canhão da polícia identifica de azul quem resiste. Os policiais também misturam pimenta na água. Arde nos manifestantes e coça o dedo do policial. Entre as demandas principais dos manifestantes, estão a anistia dos presos nos quase seis meses de protestos e o direito de a população eleger todos os representantes do Parlamento. A maioria já desocupou outras universidades, mas até 500 pessoas continuam na Politécnica. Quase todos que tentaram furar o cerco da polícia acabaram presos. E, nesta segunda-feira (18), a polícia ameaçou usar armas de fogo se voltar a ser atacada com arco e flecha. A tática de isolamento aposta no cansaço. Mas a guerrilha urbana resiste. Os manifestantes também usam laser para atrapalhar os agentes e dificultar o reconhecimento facial. Outros milhares foram em socorro nos arredores da universidade. Eles tentaram dispersar os policiais, só que cada tentativa de furar o cerco recebe uma resposta. O Reino Unido manifestou preocupação com a ex-colônia. O primeiro-ministro britânico declarou que o diálogo político é o único caminho a seguir. O embaixador da China em Londres acusou o Reino Unido de interferência. Os agentes querem que todos saiam por uma ponte e sem máscaras. Mas o blindado ainda enfrenta os manifestantes. E eles peitam a polícia. Ainda é difícil extinguir os protestos.
    • 19/11/2019 01:20
      VÍDEO: Homem atira durante fuga de suspeitos após roubo a loja no centro de Itabuna, na Bahia
    • 19/11/2019 01:19
      Com opções de lazer e venda de animais, Fenagro terá 9 dias de programação na Bahia
    • 19/11/2019 01:19
      ONU e Prefeitura de Belém assinam parceria para atendimento humanitário a refugiados venezuelanos
      A capital foi a cidade que mais recebeu refugiados venezuelanos em 2018. Belém chegou a declarar situação de emergência diante do intenso fluxo migratório. Parceria quer garantir ações de saúde e assistência social aos grupos. ONU e Prefeitura de Belém assinam acordo para dar assistência humanitárias aos refugiados Nesta segunda-feira (18), a Prefeitura de Belém e o Alto Comissariado das Nações Unidas para Refugiados (Acnur) assinam termo de parceria para o atendimento humanitário a venezuelanos indígenas e não indígenas que estão em Belém. O termo oficializa a parceria entre Acnur, agência da Organização das Nações Unidas (ONU), e Prefeitura de Belém. O trabalho em conjunto já vem sendo realizado, por meio de apoio técnico e operacional nas gestões de abrigos e de dados e de proteção à pessoa refugiada. Mais de 200 Warao migraram para a capital do Pará, e diversos deles passaram a viver em situação de rua e pedindo esmola. Em 2018, o Ministério Público cobrou do estado e do município o atendimento aos refugiados com ações de saúde, educação e assistência social. O município de Belém declarou situação de emergência diante do intenso fluxo migratório de venezuelanos para a capital. Segundo a Prefeitura de Belém, desde 2017 o município vem atendendo os refugiados. Por meio de um departamento exclusivo para migrantes, o Núcleo de Atendimento ao Migrante e Refugiado (NAMR), da Funpapa, que realiza o serviço socioassistencial, além de encaminhamentos e acompanhamentos nas mais diversas áreas. De acordo com a Prefeitura, desde 2018, é realizado o cadastramento de migrantes e refugiados no Cadastro Único para Programas Sociais (CadÚnico) e, posteriormente, a inserção das famílias no Programa Bolsa Família. A Secretaria Municipal de Saúde de Belém (Sesma) desenvolve um cronograma semanal de atendimento de saúde dos índios venezuelanos, desde a chegada deles à capital. O acompanhamento é realizado pelas equipes do Consultório na Rua (CnR). Todos os grupos que chegam ao município recebem vacinação contra sarampo, caxumba, rubéola, febre amarela, gripe e hepatite B. As crianças seguem calendário vacinal recomendado nas unidades de saúde e são acompanhadas pela equipe do CnR. Também são tomadas todas as medidas de controle para doenças, inclusive com atendimentos técnicos e encaminhamento à rede de saúde.
    • 19/11/2019 01:17
      Veja as vagas de emprego do Sine Amapá para o dia 19 de novembro
    • 19/11/2019 01:15
      Eventos são realizados em RO para incentivar mulheres ao empreendedorismo
    • 19/11/2019 01:14
      Brasileiro é encontrado morto em câmara fria nos EUA
      Vítima era de Maringá, no norte do Paraná, e tinha uma empresa que prestava serviços de limpeza no exterior. Maringaense morre em câmara fria nos Estados Unidos Um brasileiro foi encontrado morto dentro de uma câmara fria em um frigorífico no estado de Massachusetts, nos Estados Unidos (EUA). Júlio César Costa tinha uma empesa que prestava serviços de limpeza. Ele estava trabalhando no local, segundo a família. Familiares da vítima, que é de Maringá, no norte do Paraná, acreditam que tenha sido um acidente de trabalho. Ele morava em Everett, no Massachusetts, há quase 20 anos. O caso aconteceu na quinta-feira (14). Ainda segundo a família, parentes viajaram de Maringá para os EUA e tentam fazer o traslado do corpo do brasileiro. Veja mais notícias da região no G1 Norte e Noroeste.
    • 19/11/2019 01:08
      Caso Flávio: reconstituição do crime encerra após quase cinco horas, em Manaus
    • 19/11/2019 01:07
      VÍDEOS: Jornal da Tribuna 2ª Edição de segunda-feira, 18 de novembro
    • 19/11/2019 01:04
      Polícia apreende quase 40 kg de cocaína em RO; 4 suspeitos são presos
    • 19/11/2019 01:02
      Cenipa faz perícia em avião que caiu e matou três pessoas, em Cascavel
    • 19/11/2019 01:02
      Com ponte quebrada, moradores precisam passar por dentro de córrego na zona rural de Pium
    • 19/11/2019 00:56
      Hotel Pestana anuncia reabertura de serviços após dois anos fechado por causa da crise no setor
    • 19/11/2019 00:56
      Funcionário de empresa morre após desabamento de silo em Passo Fundo
    • 19/11/2019 00:53
      'Operação K-9' reforça policiamento preventivo e repressivo no centro de Belém
      Operação será realizada em Nazaré e São Brás até 30 de novembro. A Polícia Militar iniciou, nesta segunda-feira (18), a "Operação K-9", que será desenvolvida em Nazaré e São Brás até 30 de novembro. A ação visa combater ações criminosas durante o período de fim de ano, com policiamento preventivo e repressivo, com apoio de cães farejadores em áreas de grande fluxo de pessoas e veículos. A "Operação K-9" terá suporte operacional, com apoio da Companhia Independente de Policiamento Com Cães (CIPC) e do Comando de Policiamento Especializado (CPE), da PM. A operação envolverá um efetivo de quase 70 militares por dia, que estarão nas ruas do centro de Belém entre 17 e 23 h. "Estamos antecipando o enfrentamento às ações criminosas, como roubos e furtos, na área da capital que possui muitos estabelecimentos comerciais e agências bancárias, que recebem um fluxo expressivo de pessoas neste período de festas de fim de ano", informou o coronel Dilson Júnior
    • 19/11/2019 00:53
      Dupla é presa suspeita de roubo, desmanche e clonagem de veículos, em Campina Grande
    • 19/11/2019 00:52
      SineBahia divulga vagas de emprego para Salvador e interior do estado; confira
    • 19/11/2019 00:45
      Golfinhos são avistados em último sobrevoo de 2019 do monitoramento das baleias-francas em SC; FOTOS
    • 19/11/2019 00:43
      Começa nova fase de vacinação contra sarampo com foco nos jovens adultos
      Alvo principal da campanha são jovens de 20 a 29 anos. Nos últimos 90 dias, 1.720 jovens dessa faixa etária contraíram o sarampo. Começa nova etapa da campanha de vacinação contra sarampo Começou a nova etapa da campanha de vacinação contra o sarampo. Desta vez, focada nos adultos jovens. O técnico de informática David Vasconcelos, de 20 anos, mora em Cubatão, na Baixada Santista, e está na faixa etária que tem prioridade na vacinação. ?Uma doença que pode ser passada adiante. Então, é bom todo mundo estar se prevenindo?, contou. Segundo o Ministério da Saúde, quase 40 milhões de brasileiros estão vulneráveis ao sarampo por falta da vacina. A segunda etapa da campanha, que começou nesta segunda-feira (18), tem como público-alvo jovens de 20 a 29 anos. E, nos últimos 90 dias, 1.720 jovens dessa faixa etária contraíram o sarampo. ?Portanto, nós vamos ter que ter uma estratégia diferenciada para atender essa população. Nós vamos ter que saber onde é que elas estão, nós vamos ter que ir até onde elas estão ou tentar facilitar para que elas possam se deslocar da indústria, do comércio, das universidades para chegar até um local onde haja a disponibilidade da vacina?, destacou João Gabbardo, ministro interino da Saúde. Entre 4 de agosto e 26 de outubro, foram registrados mais de cinco mil casos de sarampo no Brasil; 90% no estado de São Paulo. A cobertura da vacina tríplice viral, que previne sarampo, caxumba e rubéola vem diminuindo. De 2010 até 2014, chegou a ultrapassar a meta. A partir de 2015, começou a cair. Mas, sempre acima dos 90% de cobertura. Em 2019, até outubro, o índice de vacinação está abaixo dos 60%. Notícias falsas também atrapalham. Uma pesquisa da Sociedade Brasileira de Imunizações concluiu que a metade das pessoas deixa de se vacinar por desinformação. O Ministério da Saúde criou um serviço para tirar dúvidas. Basta encaminhar a notícia que logo a resposta vem, informando se é fake news ou não. O sarampo é transmitido por via respiratória: boca e nariz. Especialistas explicam que pegar o vírus é tão fácil quanto pegar uma gripe. Um único doente pode transmitir para até 20 pessoas. ?A decisão de não se vacinar pode prejudicar toda a população, toda a sua comunidade, em especial as crianças pequenas?, avaliou Lúcia Paixão, diretora da Vig. Epidemiológica de Belo Horizonte. Marília, de 27 anos, levou a filha Giovana para uma consulta e saiu do posto imunizada. ?Olhou meu documento e faltava uma dose. Agora já estou vacinada?, contou. Apesar da prioridade para os adultos jovens, os outros grupos também podem se vacinar. ?Até com chuva vem, porque é importante para todos nós?, disse outro homem que se vacinou.
    • 19/11/2019 00:40
      MP acompanha investigação sobre possível envenenamento na Grande SP
      Quatro pessoas que estavam numa praça, em Barueri, morreram após tomarem uma bebida. Outras quatro estão internadas, incluindo o homem que teria oferecido a bebida. MP acompanha investigação sobre possível envenenamento na Grande SP O Ministério Público de São Paulo vai acompanhar a investigação da morte de quatro pessoas, no fim de semana. Elas tomaram uma bebida alcoólica supostamente envenenada. A garrafa já está nos laboratórios do Instituto de Criminalística de São Paulo. Só a perícia vai dizer se o líquido amarelo estava envenenado. No sábado (16), oito pessoas estavam numa praça em Barueri, na Grande São Paulo, e tomaram a bebida. Em seguida, todas passaram mal. Quatro morreram: Edson Sampaio da Silva, de 40 anos; Denis da Silva, de 33; Marlon Gonçalves, de 39; e Luiz Pereira da Silva, de 49. Outros três homens e uma mulher estão internados em um hospital, entre eles Vinicius Salles Cardoso, de 31 anos, ex-presidiário e usuário de drogas. Segundo a polícia, Vinicius disse ter recebido a garrafa de um motorista de um carro no semáforo da região da Cracolândia, no centro de São Paulo, na quinta-feira (14), e que, no dia seguinte, caminhou por 27 quilômetros até Barueri. Vinicius contou que dormiu num albergue, mas a direção nega. No sábado de manhã, ele encontrou os colegas na praça. Só na praça ele abriu a garrafa e ofereceu aos amigos. Fotos mostram os homens sendo atendidos na calçada. Os corpos dos quatro que morreram foram enterrados no domingo (17), em cidades da Grande São Paulo. Em depoimento, Vinicius contou que a garrafa estava lacrada. Isso indicou para a polícia a possibilidade de alguém ter planejado fazer mal ao grupo. O líquido que as oito pessoas beberam era amarelado, mas o conteúdo original da cachaça, vendida no mesmo tipo de garrafa, é transparente. Ou seja, a suspeita é que a bebida tenha sido adulterada. A prima de Vinicius, que prefere não se identificar, estranha a versão de que ele levou a garrafa para Barueri. ?Dele ir na Cracolâdia eu não sei, porque, por ele ser um usuário de droga, ele pode ir, sim. Mas dele pegar a garrafa de bebida lá e só vir beber aqui, eu acho um pouco estranho, porque ele é viciado. Então ele teria bebido lá?, contou. Segundo o delegado, os homens e a mulher que estão internados contaram que não tinham recebido ameaças. A Polícia Civil vai atrás de imagens de câmeras de segurança da região da Cracolândia para confirmar a versão de Vinicius. ?Ele não conseguiu descrever as características da pessoa, só disse que era uma pessoa do sexo masculino, tão pouco nos informou o modelo do veículo ou a cor do veículo?, disse Anderson Pires Giampaoli, delegado de Barueri. E aguarda o resultado da perícia na bebida. ?Eu acredito que até o final da semana o Instituto de Criminalística já nos dê, pelo menos, uma prévia do material?, afirmou o delegado.
    • 19/11/2019 00:40
      Subtenente é condenado a 13 anos de prisão por estuprar e matar jovem em SP
    • 19/11/2019 00:38
      Efeito do desmatamento ao longo de décadas também ameaça o Pantanal
      Rio Taquari, um dos maiores rios pantaneiros, tem 150 quilômetros sem água. Pantaneiros mais antigos dizem que nem nas secas extremas o rio ficou desse jeito. Efeito do desmatamento ao longo de décadas também ameaça o Pantanal O desmatamento ao longo de décadas também ameaça o Pantanal brasileiro. Parece uma estrada como tantas outras, mas é o leito de um dos maiores rios pantaneiros. A família de Fernando é dona das terras há mais de cem anos. ?Aqui era utilizado para embarcar na lancha que chegava até aqui. A gente embarcava o gado para levar até Corumbá?, contou Fernando. No rio por onde navegaram os bandeirantes no século XVIII, hoje os barcos não têm serventia. Falta água até para beber. ?Tem que ferver talvez para dar para a criança porque não tem um remédio nada para colocar nela?, explicou um morador. Ribeirinhos em dificuldades, pantaneiros sem acreditar na imagem. O rio era o limite da fazenda, não tinha cerca. Quando a água secou, o rebanho se espalhou. Um dos principais pontos de travessia do rebanho criado nessa região do Pantanal é o Porto Rolon. Nos anos de 1950 passaram mais de 120 mil animais. E era exatamente nesse ponto que eles entravam na água. É o Rio Taquari. E o que tem assustado a população é a imagem: são 150 quilômetros sem água. Os mais antigos dizem que nem nas secas extremas o rio ficou desse jeito. Hoje, o rebanho não precisa nadar, segue pela areia. Os pesquisadores dizem que é a aceleração de um processo de assoreamento. O que aconteceria em cem, 200 anos, está sendo visto em poucas décadas. ?O que se provou pela ciência, através de estudos da Embrapa e outros estudos, é que houve um incremento muito grande dos sedimentos principalmente a partir da década de 70. Não é que o rio morreu, o rio mudou de lugar?, explicou o pesquisador da Embrapa Carlos Padovani. E está acontecendo a mesma coisa na região do Caronal, onde 95% do volume de água do Rio Taquari escapam do leito ? e isso pode ter sido uma das razões para todo o trecho seco rio abaixo. O último embarque de gado que o pecuarista Aldo Teló fez pelo rio foi em dezembro de 2018, e as balsas ficaram encalhadas. ?Nós acreditamos que o assoreamento que aconteceu lá mais para cima fez com que as águas saíssem para as laterais, e se perdem nos campos. A natureza aqui é muito forte, quem está aqui tem que ir se adaptando ao Pantanal?, afirmou.
    • 19/11/2019 00:37
      Unesco e Globo renovam parceria para a campanha Criança Esperança
      Renovação da parceria e da cooperação técnica significa que, pelos próximos seis anos, a Unesco vai continuar administrando o dinheiro doado pelos brasileiros. Globo e Unesco renovam parceria para campanha Criança Esperança A Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura e a Globo renovaram, nesta segunda-feira (18), o acordo de cooperação técnica e a parceria para a campanha Criança Esperança pelos próximos seis anos. O projeto Acordes, o Lar Assistencial Maria de Nazaré e mais algumas dezenas de projetos sociais espalhados pelo Brasil receberam um enorme impulso na noite desta segunda-feira (18). Foi diante da Torre Eiffel, em Paris. O presidente do Conselho Editorial do Grupo Globo, João Roberto Marinho, foi recebido por Audrey Azoulay, a diretora-geral da Unesco, para renovar a parceria iniciada em 2004. As duas assinaturas são a certeza de que o projeto que virou exemplo para o mundo vai continuar pelo menos por mais seis anos. A renovação da parceria que mantém o Criança Esperança significa que, pelos próximos seis anos, a Unesco vai continuar recebendo as doações que são feitas pelos brasileiros, selecionando os projetos sociais e se certificando de que o dinheiro seja bem aplicado. É a garantia de que o projeto que a Globo iniciou mais de 30 anos atrás vai continuar transformando esperança em projetos de vida. ?Para nós, é muito importante que a Unesco esteja junto conosco, chancelando a escolha dos projetos, para que a gente tenha sempre muita qualidade no trabalho que é feito com o dinheiro dos doadores?, disse João Roberto Marinho. A diretora-geral da Unesco disse que o Crianças Esperança é um projeto modelo. ?É uma aliança entre a responsabilidade da Unesco sobre a educação, sobre a inclusão, sobre a cultura e a visibilidade que a Globo nos dá para financiar as ONGs. É uma parceria que hoje nós reforçamos e prolongamos?, disse Audrey Azoulay. E essa renovação aconteceu num momento excelente. Em 2019, o Criança Esperança bateu recorde: arrecadou mais de R$ 22 milhões, uma pequena fortuna que vai se transformar em sonhos para 66 mil crianças e jovens por todo o Brasil.
    • 19/11/2019 00:37
      Petrobras reajusta gasolina após mais de 50 dias; importadores apontam defasagem
    • 19/11/2019 00:36
      Simm tem mais de 100 vagas para operador de telemarketing; veja oportunidades
    • 19/11/2019 00:35
      Desmatamento na Amazônia cresce quase 30% e é o maior desde 2008, diz Inpe
      Índice é relativo ao período de agosto de 2018 a julho de 2019 em comparação aos 12 meses anteriores. Números são do Prodes, sistema com mais de 95% de confiança. Desmatamento na Amazônia cresce quase 30% e é o maior desde 2008, diz Inpe O desmatamento na Amazônia cresceu quase 30% no período de agosto de 2018 a julho de 2019 em relação aos doze meses anteriores. É o maior desmatamento registrado nos últimos dez anos. De agosto de 2018 e julho de 2019 foram desmatados 9.762 quilômetros quadrados na Amazônia, uma área seis vezes maior que a cidade de São Paulo. O pior resultado foi no Pará. Os números são do Prodes, um sistema consolidado com mais de 95% de confiança. Esse desmatamento é o maior registrado desde 2008. O menor foi detectado em 2012. De lá para cá, houve oscilações e um aumento significativo neste último período. Os dados do desmatamento em 2019 foram motivo de controvérsia e muita polêmica. Com base no Deter, um sistema que usa imagens de satélites e serve para dar alertas, números apontavam para um crescimento de quase 90% no desmatamento da Amazônia em junho de 2019 em relação a junho de 2018. O presidente Bolsonaro contestou os dados, o que acabou gerando críticas tanto no Brasil quanto no exterior. O então diretor do Inpe, Ricardo Galvão, rebateu o presidente e foi demitido em agosto. Dados sobre as queimadas na Amazônia em 2019 também viraram assunto mundial. O presidente Bolsonaro chegou a dizer que as ONGs estavam envolvidas. Pressionado, o governo enviou tropas das Forças Armadas no fim de agosto, para ajudar no combate às chamas. Com isso, os incêndios recuaram. O ministro do Meio Ambiente, Ricardo Salles, participou da divulgação dos dados do Prodes e admitiu que o índice de 29% no aumento do desmatamento é muito maior do que o governo gostaria, mas disse que ele é melhor do que chegou a ser divulgado. O ministro Ricardo Salles disse que o governo deve anunciar, nos próximos dias, medidas para conter o desmatamento na Amazônia. Ele não descartou usar novamente o Exército e quer dividir a responsabilidade com os estados. O secretário-executivo do Observatório do Clima, Carlos Rittl, disse que os dados mostram uma mudança na tendência brasileira de melhor proteção da floresta e ressaltou para o impacto negativo que eles podem ter para a economia. ?Complica porque é o principal indicador a ser observado sobre a situação da Amazônia. É a taxa anual de desmatamento, é um número oficial, anunciado pelo próprio ministro, pelo próprio governo. Os acordos comerciais, como entre Mercosul e União Europeia, incluem cláusulas de sustentabilidade, de proteção ambiental, de redução do desmatamento e descumprimento com o acordo de Paris. Nós estamos completamente fora dessa rota?, disse. O ministro do Meio Ambiente afirmou que as medidas de combate ao desmatamento precisam garantir crescimento econômico da região. Segundo ele, os dados divulgados nesta segunda-feira (18) são resultado, principalmente, de atividades ilegais. ?O que nós temos daqui para a frente para fazer é justamente uma estratégia de desenvolvimento sustentável para Amazônia. Esse ambientalismo de resultado que nós queremos colocar em prática, ou seja, ter resultados concretos das medidas de preservação, melhorando a qualidade de vida das pessoas que vivem na Amazônia. Sem isso, nós vamos continuar assistindo um aumento do desmatamento, que é consequência, em grande medida, de ausência da alternativa econômica e sustentável para aquela região?, afirmou.
    • 19/11/2019 00:33
      Bolívia enfrenta escassez de alimentos e de combustível
      No exílio no México, o ex-presidente Evo Morales disse que teme por uma guerra civil na Bolívia e que grupos violentos estão sendo pagos para entrar no país. Bolívia vive escassez de alimentos e de combustível Na América do Sul, em meio à crise política, os bolivianos agora sofrem com o desabastecimento. Milhares entraram na fila na praça, em La Paz, quando chegou o caminhão. Trazia 1.400 frangos inteiros. Cada família só pôde comprar um. A organizadora disse que os frangos chegaram de avião. Uma mulher na fila disse que as pessoas estão desesperadas e compram tudo que encontram. Além da carne de frango, o governo interino importou cem tanques de gasolina e diesel do Chile e Peru. Segundo o novo governo, a escassez de alimentos e combustíveis é provocada por bloqueios de estradas erguidos por manifestantes favoráveis ao ex-presidente Evo Morales. ?Eu quero pedir a renúncia de Jeanine Áñez e queremos de volta nosso presidente Evo Morales?, disse uma mulher chamada Olga. A autoproclamada presidente interina Jeanine Áñez cancelou, nesta segunda (18), uma viagem que faria a sua cidade natal. O ministro do Interior, Arturo Murillo disse ter identificado que um grupo militar que planejava um atentado contra ela. Áñez ainda não anunciou a data das novas eleições. O governo interino afirmou que não descarta convocar uma eleição por decreto, se não chegar a um acordo com parlamentares partidários de Morales que são maioria no Congresso. No exílio no México, o ex-presidente Evo Morales disse que teme por uma guerra civil na Bolívia e que grupos violentos estão sendo pagos para entrar no país. Pediu que os bolivianos deixem a luta. Até agora, são pelo menos 23 mortos em protestos. A ONU lembrou ao governo boliviano que forças militares não podem ser usadas para cumprir o papel da polícia; que isso vai contra a lei internacional de direitos humanos. Um ministro do governo interino anunciou no fim de semana a criação de um aparato especial para fiscalizar e prender partidários do ex-presidente Evo Morales e jornalistas que, segundo eles, sejam subversivos.
    • 19/11/2019 00:33
      Mulher que deu à luz no banheiro de maternidade diz que esperou mais de 10 horas e tratamento foi ?desumano?
    • 19/11/2019 00:31
      EUA formulam regulamento de acordo migratório com El Salvador, Guatemala e Honduras
    • 19/11/2019 00:30
      Toffoli revoga decisão de acessar dados sigilosos de 600 mil contribuintes
      Medida foi tomada depois que a PGR enviou parte das informações solicitadas pelo ministro no caso dos relatórios financeiros feitos pelo antigo Coaf. Toffoli revoga decisão de acessar dados sigilosos de 600 mil contribuintes O presidente do Supremo Tribunal Federal, Dias Toffoli, revogou a decisão que permitiria que ele acessasse dados sigilosos de 600 mil contribuintes. A medida foi tomada depois que a Procuradoria-Geral da República enviou parte das informações solicitadas pelo ministro no caso dos relatórios financeiros feitos pelo antigo Coaf. O presidente do STF considerou que, diante de todas as informações que ele recebeu, já tem dados suficientes para subsidiar o voto dele e para conduzir o caso na próxima quarta-feira. Toffoli disse que anulou a ordem para que tivesse acesso aos dados ?porque considerou que, diante de informações satisfatórias passadas pela Unidade de Inteligência Financeira (UIF, antigo Coaf), não há necessidade das cópias de todos os Relatórios de Inteligência?. Ele também informou que não fez o acesso ao Banco Central e, por consequência, não abriu os arquivos que já haviam sido enviados a ele pela internet. Nesta segunda (18), o ministro Dias Toffoli se reuniu a portas fechadas com o advogado-geral da União, André Mendonça, e com o procurador-geral da República, Augusto Aras, e com o presidente do Banco Central, Roberto Campos Neto, que comanda a Unidade de Inteligência Financeira, antigo Coaf. ?Nós estamos tentando buscar uma solução que atenda a todos em relação ao que vai ser votado na quarta-feira?, disse Roberto Campos Neto, presidente do Banco Central. Roberto Campos Neto se referiu ao julgamento no plenário do Supremo, que deve decidir se a Receita Federal, o Banco Central e o antigo Coaf podem continuar compartilhando dados detalhados com investigadores, sem autorização judicial. Em julho, numa decisão provisória, o presidente do Supremo suspendeu investigações baseadas em relatórios compartilhados dessa forma. A decisão de Dias Toffoli atendeu a pedido da defesa do senador Flávio Bolsonaro, do PSL. Ele é investigado pelo Ministério Público estadual, a partir de um relatório do Coaf, que revelou movimentações atípicas de R$ 1,2 milhão na conta de Fabrício Queiroz, ex-assessor do então deputado estadual Flávio Bolsonaro. Em outubro, Toffoli determinou ao Banco Central e ao Ministério da Economia que encaminhassem cópia dos Relatórios de Inteligência Financeira e representações fiscais dos últimos três anos. Na semana passada, obteve do Banco Central o acesso a dados sigilosos de cerca de 600 mil pessoas físicas e jurídicas. Na sexta-feira (15), o procurador-geral, Augusto Aras, pediu que o ministro Toffoli revogasse a decisão. Afirmou que a medida era interventiva e envolve pessoas expostas politicamente e com prerrogativa de foro. Toffoli negou e pediu informações adicionais SOBRE quem teve acesso aos dados, quantos relatórios foram solicitados e por quais instituições. Dias Toffoli solicitou ainda que o Ministério Público Federal fornecesse voluntariamente informações sobre quem teve acesso aos dados e quantos relatórios foram solicitados. Toffoli vai usar essas informações para preparar o voto no julgamento de quarta-feira (20). Nesta segunda, a PGR entregou as informações a Dias Toffoli. Nos últimos três anos, o antigo Coaf enviou ao Ministério público 972 Relatórios de Inteligência Financeira: 362 em 2017; 339 em 2018; e 217 em 2019. A PGR afirmou ainda que em todas as ocasiões o antigo Coaf enviou os documentos de "forma espontânea" e o intercâmbio entre os dois órgãos é para tirar dúvidas, pedir detalhamento, e não para pegar dados de alguém. Segundo o relatório da PGR, ?é tecnicamente impossível ao órgão realizar qualquer tipo de devassa em movimentações bancárias alheias, até porque sequer possui acesso a essas informações?. Uma das perguntas de Toffoli não foi respondida: a lista de quais procuradores obtiveram acesso aos dados sigilosos. Aras informou que cada unidade do Ministério Público Federal tem seus procuradores da área cadastrados e que cabe aos órgãos de controle entregarem a lista de quem recebeu os relatórios. De acordo com o Ministério Público Federal, 935 investigações estão paradas, entre elas, casos de crimes contra a ordem tributária, sobre lavagem de dinheiro, sobre crimes contra o sistema financeiro e casos de sonegação de contribuição previdenciária. O compartilhamento de dados sigilosos para investigações segue as orientações do Gafi, o grupo que é referência internacional na prevenção à lavagem de dinheiro. Nesta segunda, um evento sobre o assunto foi organizado pelo Superior Tribunal de Justiça, em Brasília. O ex-integrante do Gafi Jack de Kluiver disse que não conhece nenhum país que exija autorização judicial para os investigadores terem acesso a dados sigilosos de órgãos de controle. Para ele, esta exigência pode criar um problema para o Brasil do ponto de vista dos padrões internacionais de forças-tarefas de ações financeiras.
    • 19/11/2019 00:27
      Outros dois vereadores de Uberlândia contrataram serviços de empresa de fachada