Preco de Crachá na zona oeste é na CardPress!

Home / Crachá / Preco de Crachá na zona oeste

 

Banner Crachá de Identificação - CardPress

O crachá de identificação gera mais valor para sua empresa, aumenta a segurança do ambiente e promove interação entre seus colaboradores e clientes, além da possibilidade de marcação de ponto eletrônico através das tecnologias disponíveis como código de barras, tarja magnética, aproximação (mifare, RFID...)


Quer uma estimativa de quanto custará seu projeto de cartões PVC?

 

Você pode nos enviar pedidos conforme a sua necessidade, não é obrigatório enviar a quantidade total para produção.

Como comprar crachás em PVC

Como comprar crachás


Preencha os campos abaixo, e ligamos pra você:

 

Produtos relacionados

Preco de Crachá na zona oeste. Os melhores preços e atendimento você encontra aqui!



Estados atendidos pela CardPress



Notícias da última hora:

    • 25/08/2019 11:53
      Em MG, agricultores sentem o preço mais baixo do café
      Produtividade da safra também ficou abaixo do esperado, mesmo com ano mais fraco por causa de ser um ano em que a produtividade do grão naturalmente é menor. A colheita do café chegou ao fim em Minas Gerais e, agora, a preocupação dos produtores é com os preços, que têm sofrido quedas no mercado. Segundo Simão Pedro de Lima, superintendente da Expocaccer, cooperativa dos cafeicultores do Cerrado, os preços este ano ficaram entre R$ 360 e R$ 450, abaixo dos R$ 450 a R$ 510 há um ano. ?É natural uma oscilação quanto temos notícias de frio e fatores externos como economia internacional, guerra comercial, variação do câmbio?, disse. Outro motivo de preocupação foi a produtividade no campo. Na fazenda do agricultor Gustavo Ribeiro, em Patrocínio, na região do Cerrado Mineiro, a média da produção foi de 30 sacas por hectare. ?Já é um ano de baixa do café, por causa da bienalidade, mas também teve uma baixa de 10 a 13% do que estávamos esperando?, afirmou Ribeiro.
    • 25/08/2019 11:51
      Cresce número de mortes no trânsito nas três maiores cidades da região de Piracicaba
      Piracicaba (SP), Limeira (SP) e Santa Bárbara d'Oeste (SP) registraram crescimento de vítimas fatais entre janeiro e julho deste ano, quando comparado com o mesmo período de 2018. O número de vítimas fatais por acidentes de trânsito cresceu nos sete primeiros meses deste ano, quando comparado com o mesmo período de 2018, em Piracicaba (SP), Limeira (SP) e Santa Bárbara d'Oeste (SP). Segundo dados da Secretaria de Segurança Pública (SSP), as cidades, juntas, em 2019, somam 50 mortes, enquanto em 2018, de janeiro a julho, foram registradas 36, um crescimento de 38,8%. Com 21 mortes, a cidade de Piracicaba registrou o maior número de vítimas fatais no trânsito este ano, seguida por Limeira, com 20 e, Santa Bárbara d'Oeste, com nove, de acordo com o mais recente balanço da SSP. Recorde A quantidade de mortes no trânsito nas maiores cidades da região é a maior desde 2016, de acordo com dados da secretaria. Naquele ano, os municípios tiveram, juntos, de janeiro a julho, 51 mortes. Outros dados De acordo com o balanço da SSP, a cidade de Piracicaba registrou queda, entre janeiro e julho deste ano quando comparado com o mesmo período de 2018, no número de homicídios dolosos, tentativas de homicídio, latrocínios, estupros, roubos e furtos. Já Limeira registrou crescimento na quantidade de homicídios doloso, latrocínios e furtos. Na cidade, houve queda na quantidade de tentativas de homicídio, estupros e roubos. Em Santa Bárbara d'Oeste, no mesmo período de comparação, diminuiu o índice de homicídios dolosos, tentativas de homicídio, latrocínios e furtos. A cidade, porém, registrou aumento no número de estupros e roubos, segundo a SSP. Veja mais notícias da região no G1 Piracicaba.
    • 25/08/2019 11:46
      Produtor aposta no cultivo de ora-pro-nóbis
    • 25/08/2019 11:45
      VÍDEOS: Gazeta Rural de domingo, 25 de agosto
    • 25/08/2019 11:45
      Unicamp cria repelente para tecidos e superfícies que pode ser usado no combate à dengue
    • 25/08/2019 11:44
      VÍDEOS: Clube Rural, domingo, 25 de agosto de 2019
    • 25/08/2019 11:44
      Prazo para empresas migrarem para o Proedi encerra nesta segunda-feira
      Programa de Estímulo ao Desenvolvimento Industrial (Proedi) concede renúncia fiscal a empresas. Termina nesta segunda-feira (26) o prazo para as empresas que integravam o Programa de Apoio ao Desenvolvimento Industrial do RN (Proadi), que foi extinto desde o dia 31 de julho, aderirem ao novo regime, o Programa de Estímulo ao Desenvolvimento Industrial (Proedi). As empresas que não se enquadrarem correm o risco de perder os benefícios já desfrutados. A nova versão do regime oferece renúncia fiscal de até 95% e as empresas que migrarem garantem, no mínimo, como crédito presumido, o mesmo percentual financiado anteriormente. Para aderir ao Proedi, é preciso preencher um formulário, disponível no Portal da Secretaria Estadual de Tributação (SET), e protocolar na Secretaria Estadual de Desenvolvimento Econômico (Sedec). Em seguida, deverá assinar juntamente com a SET o termo do acordo, que terá os mesmos prazos de validade dos contratos de mútuo com a Agência de Fomento do RN (AGN). O Proedi foi estruturado a partir de um modelo que, em vez de benefício financeiro para as empresas participantes, concede renúncia fiscal. A validade do Proedi vai até 30 de junho de 2032. O objetivo é estabelecer condições atrativas para o desenvolvimento da atividade industrial no Rio Grande do Norte, dando condições de competitividade para os contribuintes potiguares em relação aos estados vizinhos, que adotam esse modelo de incentivo por meio do crédito presumido. Na prática, o programa amplia o benefício de 75% (do antigo Proadi) para até 95% em caso de atividades estratégicas e empresas que geram maior número de empregos. Pelas regras do decreto 29030, de 27 de julho de 2019, "fica assegurada a manutenção do incentivo já usufruído pelas empresas atualmente beneficiárias pelo Proadi, mediante simples adesão ao Proedi sem interrupção do incentivo". A mudança também implica na simplificação do incentivo, ao contrário do Proadi, que implicava em contrato de financiamento, tornando mais ágil o processo de concessão.
    • 25/08/2019 11:43
      Em oito meses, Brasil registrou mais de 74 mil focos de queimada
      No Pará, foram 6,6 mil focos de incêndio somente nas primeiras semanas de agosto. Já Mato Grosso sofre para apagar as queimadas: de 141 cidades, apenas 22 têm unidades dos bombeiros. De janeiro até agosto, o Brasil registrou mais de 74 mil focos de incêndio, um aumento de 85% em relação ao ano passado. Esta é a maior alta e também o maior número de registros em sete anos no país, segundo o Programa Queimadas do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe). Somente neste mês, o fogo já destruiu parte da vegetação de pelo menos 60 unidades de conservação pelo país. Na liderança das queimadas está o Pará. Segundo o Inpe, o estado teve mais de 6,6 mil focos de incêndio nas primeiras semanas de agosto. Preocupação maior recai sob o Parque Nacional de Ferruginosos. A unidade de conservação fica entre os municípios de Parauapebas e Canaã dos Carajás. O fogo começou na sexta-feira (16) em uma fazenda, segundo o Corpo de Bombeiros. As chamas foram controladas, mas voltaram a se espalhar pelo parque. Ainda não se sabe o tamanho da área destruída. No Pará, estado mais castigado, os focos de incêndio também atingem as cidades de Altamira, São Félix do Xingu, Novo Progresso e Itaituba. 13 mil focos em Mato Grosso O Pará só perdeu para Mato Grosso em número de focos de incêndio. Nesses oito meses, os satélites registraram, no estado vizinho, mais de 13 mil pontos de calor. Segundo o Instituto Chico Mendes (ICMBio), o fogo já destruiu, por exemplo, 10% do Parque Nacional da Chapada dos Guimarães e cerca de 13 mil hectares do Parque Estadual Ricardo Franco. Uma comunidade no norte do estado perdeu plantação de banana, mandioca, milho e cana. A sede de uma fazenda em Sapezal, no sudoeste de Mato Grosso, foi queimada. Foram tantos chamados que os bombeiros precisam escolher as ocorrências mais graves para atuar. Das 141 cidades de Mato Grosso, apenas 22 têm unidades dos bombeiros. Destruição no Paraná O fogo também consumiu a vegetação do Parque Nacional de Ilha Grande, no noroeste do Paraná. Na unidade de conservação, muitos animais morreram com o incêndio. Uma mãe cervo e seu filho conseguiram escapar e buscaram amigos no que sobrou de área verde. Mais de 60 brigadistas bombeiros, membros do Instituto Chico Mendes e da Defesa Civil trabalharam para conter as chamas que já destruíram cerca de 70% do parque. Focos no oeste paulista Foram registradas queimadas na reserva ambiental "Lagoa de São Paulo" em Presidente Epitácio, no oeste de São Paulo. A área fica no encontro do Rio Paraná com o Rio do Peixe. Moradores contaram que o fogo começou numa propriedade rural da região. O ambientalista Djalma Weffort alerta que na reserva existe uma grande diversidade de aves e até animais em extinção, como o cervo-do-pantanal. Fuligem na água de chuva Quem vive longe do campo também sentiu os reflexos das queimadas. São Paulo começou a tarde de segunda-feira (19) com o céu encoberto por nuvens e o "dia virou noite". O fenômeno está relacionado à chegada de uma frente fria e também de partículas oriundas da fumaça produzida em incêndios florestais. O tema "são 15h" em São Paulo acompanhado de fotos com o céu muito escuro para o horário chegou a ser um dos assuntos mais falados da internet. A professora de ciências atmosféricas da USP Márcia Akemi Yamasoe analisou imagens da Nasa. A Agência Espacial Americana captou aumento nos focos de queimadas no Norte e Centro-Oeste, e o corredor de fumaça que chegou à Região Sudeste. ?Por causa de uma frente fria que estava se deslocando pela América do Sul, fez com que essa fumaça, esses vermelhos que indicam a quantidade de fumaça, se desviasse para cá para o estado de São Paulo. Como tinha muito material particulado por causa dessa fumaça, a própria chuva naturalmente lavou e trouxe aqui para baixo?, explicou. A cor da água também causou estranheza: era cinza e com cheiro forte. Segundo meteorologista Mariana Vicente Vieira, tratava-se de fuligem. A bióloga Marta Marcondes, da Universidade de São Caetano do Sul, se assustou. "Quando nós medimos a turbidez, ela apresenta sete vezes mais do que deveria ter uma água, como a da chuva. Então, é muito preocupante", disse. Pesquisadores do Instituto de Química da Universidade de São Paulo vão analisar amostrar da chuva. Os primeiros resultados mostram que, entre os compostos de carbono ? chamados de carbonetos ?, foi encontrado um poluente característico de queimadas.
    • 25/08/2019 11:40
      VÍDEOS: AL 2 de sábado, 24 de agosto
    • 25/08/2019 11:37
      Criança morre durante tiroteio de gangues rivais em Bacabal
    • 25/08/2019 11:34
      Estagiária incentiva crianças com cumprimentos divertidos antes das aulas e vídeo viraliza na web
    • 25/08/2019 11:33
      Igreja de Itapetininga construída no século 19 apresenta problemas estruturais, aponta laudo
    • 25/08/2019 11:33
      Hospital das Clínicas de Marília deve fazer mais de 2 mil exames pelo programa ?Corujão da Saúde?
    • 25/08/2019 11:32
      Casas, empresas e condomínios apostam em sistemas de reaproveitamento de água na região
    • 25/08/2019 11:31
      Produtores de soja de Mato Grosso sofrem com altos custos e dívidas
      Fazendas de pequeno e médio porte são as que mais sofrem. Pequenos e médios produtores do Mato Grosso têm enfrentado dificuldades com os altos custos e as dívidas geradas pelo cultivo da soja. Eles representam 25% da produção do grão no estado. Das cerca de 5.400 propriedades rurais de Mato Grosso, 80% têm até 1.500 mil hectares, ou seja, são consideradas como pequenas ou médias - justamente as que mais sofrem no aumento de custo das safras. Para o agricultor Napoleão Rutilli, da cidade de Diamantino, a expectativa para a próxima safra é de uma redução de aproximadamente 17%. "Não está fechando mais a conta devido aos altos custos", apontou. Até então, Rutilli cultivava soja em 1.250 hectares de sua fazenda e em mais 450 hectares de uma área extra arrendada. Para este ano, ele devolveu a parte arrendada e reduziu a área utilizada nas próprias terras. "Eu tinha 11 funcionários, hoje estou com 5. No próximo ano devo ficar com 3", completou o produtor. Também em Diamantino, o produtor rural Cunha Candiotto aponta para um "rolamento de dívidas" para que as fazendas possam sobreviver. Segundo ele, são necessárias recorrentes renegociações de créditos e financiamentos em bancos. Preço da soja em alta Economista explica motivos da alta no preço da soja Apesar dos problemas enfrentados pelos agricultores no estado, o preço da soja vem subindo no mercado. Em Cascavel, no Paraná, outro grande estado produtor, o valor da saca já passou de R$ 73. Para o economista e analista Camilo Motter, alguns motivos elevaram o valor do grão nos últimos dias. O câmbio com alta de 8 a 10% nos últimos 20 dias e a quebra da safra norte-americana entre 20 e 25% são alguns deles.
    • 25/08/2019 11:29
      Preço e produtividade da colheita de milho animam agricultores no MS
      Produção deve chegar a 11,4 milhões de toneladas. Cerca de 95% da área de cultivo já foi colhida. Colheita do milho entra na reta final em MS e os preços animam os produtores A produção de milho deve chegar a 11,4 milhões de toneladas em Mato Grosso do Sul. O mercado e os preços estão bons e animam os agricultores da região, que já colheram 95% da área destinada ao cultivo do cereal. Nesta temporada, as associações estimam uma colheita até 80% maior do que o ciclo passado, quando o rendimento das lavouras foi afetado pelo tempo seco. A saca de 60 kg do milho estava valendo até R$ 29 na última semana, o mesmo valor de janeiro. O que é positivo, já que o preço tende a cair na época da colheita. "Esse patamar está muito bom pra nós produtores", disse o agricultor Márcio Gianluppi, que plantou 1,4 mil hectares em Sidrolândia, região central do estado.
    • 25/08/2019 11:27
      Motociclista morre após batida em poste na Avenida Otávio Mangabeira, em Salvador
      Caso aconteceu por volta das 4h, na altura de Pituaçu. Uma outra pessoa ficou ferida e foi socorrida pelo Samu. Um motociclista morreu e uma outra pessoa ficou ferida após a moto em que estavam bater em um poste, na Avenida Otávio Mangabeira, em Salvador, na manhã deste domingo (25). De acordo com informações da Superintendência de Trânsito do Salvador (Transalvador), o acidente aconteceu por volta das 4h, na altura de Pituaçu. A situação não deixou o trânsito lento na região. Segundo a Transalvador, não há detalhes da identidade da vítima que morreu. Conforme o órgão de trânsito, o ferido, que também não teve a identidade divulgada, foi socorrido por uma equipe do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) e levado para uma unidade médica. Não há detalhes do estado de saúde. O corpo do rapaz que morreu foi removido por uma equipe do Departamento de Polícia Técnica (DPT). Ainda não se sabe o que provocou o acidente. As circunstâncias do ocorrido serão investigadas Veja mais notícias do estado no G1 Bahia.
    • 25/08/2019 11:27
      Eliminação do Brasil na Copa do Mundo fez música de Jackson do Pandeiro ficar 53 anos 'perdida'
    • 25/08/2019 11:21
      Pequenas Empresas & Grandes Negócios: contatos de 25/08/2019
      Veja como obter informações das empresas citadas no programa. 01.PLANETA CRIATIVO CANUDO COMESTÍVEL SORBOS CANUDO COMESTIVEL GRUPO MARCAMIX Telefone: (11) 3195-8233 Email: querocomprar@canudocomestivel.com.br Site: https://www.canudocomestivel.com.br/ RESTAURANTE ROTA DO ACARAJE Site: http://www.rotadoacaraje.com.br/site/ Telefones: (11) 3668-6222 |3825-3984 | 2528-7304 b.live_ Endereço: Rua dos Chanés, 414 - sala 2 São Paulo/SP ? CEP: 04087-032 Telefone: (11) 982881122 Email: atendimento@bliveinchange.com.br Site: www.bliveinchange.com.br 02.PEGN.TEC CARRINHO ELÉTRICO PATRONI Rua Mário Enzio Pasqualucci, 287 ? Vila São Francisco São Paulo / SP - CEP: 04711-090 Telefone: (11) 5188-6880 / (11) 5182-3000 E-mail: expansao@patronipizza.com.br Site: www.patronipizza.com.br e www.minhapatroni.com.br SMARTMOOV Endereços: Head Office Curitiba Rua: Comendador Araújo, 323, Sala 156, Centro, Curitiba, PR, CEP 80420-903 Office São Paulo Avenida: Professor Luiz Inácio Anhaia Mello, 5148, Vila Prudente, São Paulo, SP, CEP 03294-100 Telefone: (11) 4110-0203 Site: www.smartmoov.com.br Email: comercial@smartmoov.com.br 03.CAPACITAÇÃO CONSTRUÇÃO Construfac - Faculdade da Construção, gestão e informática Endereço: Rua Roma 575 ? Lapa São Paulo/SP - Cep: 05050-090 Telefone: (11) 2626.7196 Telefone: (11) 4063.2960 WhattsBusiness: (11) 4063.2960 Site: www.construfac.com.br Instagram: faculdade_da_construcao Facebook: Construfac Faculdade da Construção E-mail: cursos@construfac.com.br J.A Endereço: Rua Cesar Pena Ramos 1649 ? Vila Santa Maria São Paulo/SP ? CEP: 02563-001 Telefone: (011)3856-7301 Celular: (011) 98724-9007 E-mail: j.a.construcao.reformassp@gmail.com CONSULTOR ENGENHEIRO MARCO ADDOR Site: www.addor.com.br / www.construliga.com.br 04.VC NO PEGN PRODUTOS CASA IL CASALINGO COMERCIO E SERVIÇOS LTDA Telefone: (15) 3418-5600 Email: contato@ilcasalingo.com.br Site: www.ilcasalingo.com.br Redes sociais: @ilcasalingo 05.QUIOSQUE AULA INGLÊS PARK IDIOMAS Telefone: (34) 3234 ? 7563 e (34) 99911 - 0742 E-mail: expansao@parkidiomas.com.br Endereço: Av. Rondon Pacheco, 4175 Site: parkidiomas.com.br ou https://www.parkidiomas.com.br/seja-um-franqueado/
    • 25/08/2019 11:20
      Aula de idiomas em quiosque permite ao aluno vivenciar situações reais de conversação
      O foco do método de ensino é a conversação dos alunos, por isso não importa os ruídos e nem as pessoas passando. A ideia é que eles vivenciem situações reais do dia a dia. Aula de idiomas em quiosque permite ao aluno vivenciar situações reais de conversação Hoje ir ao shopping não é mais só lazer. Além da praça de alimentação e do cinema, o local também possui banco, salão para cuidar dos cabelos, academia e até espaço para ter aula de outro idioma. Hoje não é mais preciso se dirigir até uma escola para aprender inglês, espanhol, alemão ou qualquer outro idioma. Basta ir até o shopping mais próximo e você terá uma aula mais simples, sem lousa, caderno, apostila, nada. O método é pura conversação. "É bem mais tranquilo do que ficar escrevendo, porque você acaba não fazendo um copia e cola, você aprende de verdade", afirma Gisele Jofre, que é aluna. "A ideia é como se fosse um diálogo guiado. E o método guia o diálogo conforme expressões já pensadas anteriormente, palavras pensadas anteriormente", explica o professor Renato di Castilho. O método foi criado no final dos anos 90, na cidade de Uberlândia, em Minas Gerais. Já existem 72 unidades de rua franqueadas em todo o Brasil. Agora a empresa lançou o modelo de microfranquia, que funciona em quiosques dentro de shoppings. "É um método totalmente inovador. Ao longo dos anos estamos crescendo como escola de idiomas e criamos depois uma plataforma digital para suportar toda essa rede de escolas. Lá estão todos os nossos métodos, nossos materiais didáticos todos digitalizados. E fomos crescendo dentro das mudanças que fomos fazendo ao longo do tempo e uma delas foi a criação desse modelo de quiosque", explica o empresário Paulo Arruda. As cabines comportam até três pessoas e são divididas por um vidro. O foco do método de ensino é a conversação dos alunos, por isso não importa os ruídos e nem as pessoas passando. A ideia é que eles vivenciem situações reais do dia a dia. "No dia a dia você vai ter sempre esse movimento ao seu lado. E em uma sala fechada é muito mais fácil de se contrair. Aqui você fica mais à vontade e convive com as pessoas do dia a dia. Então até é mais fácil até para depois você praticar isso", diz Valdinei Tortorelli, um dos alunos. O custo para uma hora de aula por semana sai por R$ 300 ao mês. A empresa já tem quatro unidades instaladas em shoppings. O investimento é de R$ 75 mil no modelo com cinco salas. PARK IDIOMAS Telefone: (34) 3234 ? 7563 e (34) 99911 - 0742 E-mail: expansao@parkidiomas.com.br Endereço: Av. Rondon Pacheco, 4175 Site: parkidiomas.com.br ou https://www.parkidiomas.com.br/seja-um-franqueado/
    • 25/08/2019 11:20
      Polícia investiga a morte de mulher enquanto caminhava com amiga em rua de Fortaleza
      A amiga foi atingida na região dos glúteos e foi encaminhada para o hospital. Uma mulher foi morta a tiros na tarde de sábado (24) no Bairro Planalto Ayrton Senna, em Fortaleza. Segundo o Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP), duas mulheres caminhavam pela Rua Francisca Maria da Conceição, quando foram abordadas por dois homens em uma moto. A vítima morreu no local, enquanto a outra mulher foi atingida na região dos glúteos. Ferida, a mulher foi encaminhada para uma unidade hospitalar. A Perícia Forense do Estado do Ceará (Pefoce) esteve no local e constatou que a vítima foi morta com disparos de arma de fogo. O DHPP realiza buscas na região com objetivo de localizar e prender os suspeitos. Até a manhã deste domingo (25), ninguém foi preso. Denúncias A polícia pede para que a população que tenha alguma informação que colabore com a prisão dos autores do crime que entre em contato através do disque denúncia 181, ou no número de whatsapp (85) 99111.7498. O sigilo e anonimato do denunciante é garantido.
    • 25/08/2019 11:19
      Prática criticada por especialista, vereadores usam requerimentos para pedir consultas à prefeitura
    • 25/08/2019 11:17
      Boris Johnson afirma que chances de Brexit com acordo 'estão melhorando'
    • 25/08/2019 11:16
      Empresário cria escola para qualificar profissionais da construção civil
      Escola possui 12 cursos de até 16 meses. A mensalidade varia de R$ 150 a R$ 280. Existem aulas teóricas e, principalmente, práticas. Empresário cria escola para qualificar profissionais da construção civil A construção civil é uma área em que o treinamento é fundamental. Um profissional com pouca formação pode dar muita dor de cabeça para reformar a casa. E de olho nesse setor, um empresário criou um curso de capacitação para qualificar esses prestadores de serviço. O empresário Celso Britto trabalha com reforma e construção há mais de 20 anos. "Eu sempre tive dificuldade de encontrar bons profissionais. E com isso veio o start de montar a escola e qualificar pessoas e trazer essas pessoas para a gente". Em 2013, Celso e os dois filhos investiram R$ 500 mil para abrir um espaço para poder dar aulas. O local possui 12 cursos de até 16 meses. A mensalidade varia de R$ 150 a R$ 280. Existem aulas teóricas e, principalmente, práticas. "Pedreiro, eletricista, instalador de ar condicionado, pintor, automação, elétrica, que são cursos que têm uma extrema demanda nesse país e nós precisamos de profissionais qualificados, nós precisamos de profissionais que realmente conheçam da área", explica Celso. Mas não é o trabalho em sim que é passado nas aulas. A escola também faz questão de mostrar a importância da organização, da pontualidade e do bom atendimento. Para o engenheiro civil Marco Adoor, esse são pontos decisivos para ganhar esse mercado. "As pessoas estão procurando se qualificar e se diferenciar, aprendendo um pouco mais de técnicas de gestão, de atendimento ao cliente, e eles passam a ser um prestador de serviço mais qualificado, e já começa a pensar como um microempresário. Construfac - Faculdade da Construção, gestão e informática Endereço: Rua Roma 575 ? Lapa São Paulo/SP - Cep: 05050-090 Telefone: (11) 2626.7196 Telefone: (11) 4063.2960 WhattsBusiness: (11) 4063.2960 Site: www.construfac.com.br Instagram: faculdade_da_construcao Facebook: Construfac Faculdade da Construção E-mail: cursos@construfac.com.br J.A Endereço: Rua Cesar Pena Ramos 1649 ? Vila Santa Maria São Paulo/SP ? CEP: 02563-001 Telefone: (011)3856-7301 Celular: (011) 98724-9007 E-mail: j.a.construcao.reformassp@gmail.com CONSULTOR ENGENHEIRO MARCO ADDOR Site: www.addor.com.br / www.construliga.com.br
    • 25/08/2019 11:15
      Helicóptero cai no Lago das Brisas e deixa três mortos, em Buriti Alegre
      Segundo Corpo de Bombeiros, quatro pessoas estavam na aeronave e só uma conseguiu sair e ser socorrida. Um helicóptero caiu no Lago das Brisas na noite de sábado (24), em Buriti Alegre, no sul de Goiás. Segundo o Corpo de Bombeiros, quatro pessoas estavam na aeronave e três delas morreram. O acidente aconteceu por volta de 22h. A suspeita é que o helicóptero estivesse voando baixo e atingiu os galhos de uma árvore. Estavam a bordo o piloto e três mulheres. Quando a aeronave caiu na água, uma das ocupantes conseguir sair, nadar e pedir ajuda. Ela foi socorrida por uma pessoa que estava no local e, em seguida, levada para o hospital. Segundo os bombeiros, a aeronave afundou com o piloto e as outras duas passageiras e eles acabaram morrendo. Os corpos ainda não foram localizados pelas equipes, que continuam fazendo buscas na região. Veja outras notícias da região no G1 Goiás.
    • 25/08/2019 11:14
      VÍDEOS: Nosso Campo deste domingo, 25 de agosto
    • 25/08/2019 11:13
      VÍDEOS: Antena Paulista de domingo, 25 de agosto
    • 25/08/2019 11:11
      Empresa cria utensílios domésticos com materiais simples e sustentáveis
      Duas amigas e sócias investiram R$ 40 mil e hoje produzem aventais, tábuas para carne, guardanapos e diversos outros produtos com materiais simples e brasileiros. Empresa cria utensílios domésticos com materiais simples e sustentáveis Duas amigas resolveram criar uma empresa com uma proposta diferente em Sorocaba, no interior de São Paulo. Elas criam aventais, tábuas para carne, guardanapos e diversos outros utensílios para casa usando materiais simples e brasileiros. Joana, uma da sócias, conta que estudou design e que na faculdade e um trabalho de conclusão de curso foi o passo inicial para começar o negócio. ?Estudei design de produtos e na faculdade meu projeto de graduação foi um uniforme para chefe de cozinha e quando apresentei a banca achou que poderia ser negocio e me incentivou a dar continuidade.? O negócio começou com investimento inicial de R$ 40 mil. Joana conta que a princípio ela e a sócia foram se arriscando aos poucos, mas hoje a produção já abrange mais de 600 produtos diferentes. "No começo a gente tinha bastante incertezas, a gente investiu dinheiro nosso, a gente tinha um estoque bem pequenino e fomos sentindo o que vendia mais, e hoje a gente já tem mais de 600 produtos diferentes em linha", explica Joana. Como a proposta é trabalhar com produtos brasileiros e de matéria prima simples, muitos dos produtos tem origem sustentável. ?Como sou designer eu desenho as peças e a gente procura sempre usar mão de obra e matéria prima nacional. Quando é tecido usamos linho e algodão que é natural. E temos uma linha subprodutos com produto reciclado garrafa pet e algodão reciclado.? "Nosso objetivo é facilitar o cotidiano das pessoas e, de preferência, deixar ele mais bonita", finaliza Joana. IL CASALINGO COMERCIO E SERVIÇOS LTDA Telefone: (15) 3418-5600 Email: contato@ilcasalingo.com.br Site: www.ilcasalingo.com.br Redes sociais: @ilcasalingo
    • 25/08/2019 11:01
      Domingo deve ser de sol e temperaturas amenas em todas as regiões de SC neste domingo
    • 25/08/2019 11:00
      Carrinho elétrico que vira minipizzaria é ótima opção para quem quer mobilidade e praticidade
      O carrinho possui diversos tipos de modelos. Em um deles, adaptado para uma pizzaria, tem forno para assar até 12 pizzas em um minuto e meio. O veículo também possui refrigerador para armazenar até 500 unidades. Carrinho elétrico que vira mini pizzaria é ótima opção para quem quer mobilidade Dois empreendedores do setor automobilístico resolveram investir na criação de um carro elétrico para ser usado por pequenos negócios. O veículo pode ser adaptado para virar uma minipizzaria ou para venda de bebidas, por exemplo. Muito prático, o carinho pode operar em qualquer lugar. Os empresários Giuliano Pilagallo e Wellington de Freitas o projetaram para criar um ponto de venda para atender aos clientes em um restaurante na Ópera do Arame, em Curitiba. "Quando tomei o direito de explorar a questão de alimentação e bebida no parque, construí o restaurante com muita preocupação com relação a questão de como pode atender aquele público. Eu precisava fazer algo para comunicar eles de alguma forma interessante", Giuliano. O modelo demorou quatro anos para ser desenvolvido e precisou de uma investimento de R$ 4 milhões. O carrinho está à venda desde o início do ano. ?Queria algo que pudesse vender em todos os sentidos. Desde o visual de desejo, porque você olha, parece um robô que ta andando, então as pessoas querem tirar foto", completa Giuliano. O diferencial do produto é que ele é todo elétrico. A energia é usada para locomover o carrinho e manter a operação. A autonomia do veículo é de 8 horas, mas é preciso recarregá-lo por 6 horas. Mas existe a opção de instalar placas de energia solar para ele ser auto sustentável. O carrinho possuí diversos tipos de modelos. Em um deles, adaptado para uma pizzaria, tem forno para assar até 12 pizzas em um minuto e meio. O veículo também possui refrigerador para armazenar até 500 unidades. O preço inicial é de R$ 50 mil, e o valor varia de acordo com o tamanho do carrinho e a autonomia da bateria. A ideia tem chamada a atenção de franquias que querem um modelo de negócio mais acessível aos franqueados. PATRONI Rua Mário Enzio Pasqualucci, 287 ? Vila São Francisco São Paulo / SP - CEP: 04711-090 Telefone: (11) 5188-6880 / (11) 5182-3000 E-mail: expansao@patronipizza.com.br Site: www.patronipizza.com.br e www.minhapatroni.com.br
    • 25/08/2019 11:00
      O que fazer se o celular for roubado?
    • 25/08/2019 11:00
      Jovem que perdeu couro cabeludo em kart está 'esperançosa' após transplante de pele, diz namorado
    • 25/08/2019 10:50
      Sustentável e saboroso: canudinho comestível é realidade em São Paulo
      O canudo comestível é feito com amido de milho, açúcar e gelatina. Não tem glúten e nem lactose. Dura em média 40 minutos e é vendido em oito sabores. Sustentável e saboroso: canudinho comestível é realidade em São Paulo Depois que Rio de Janeiro e São Paulo proibiram o uso de canudinhos de plásticos em bares, restaurantes e comercio em geral, muitos locais estão oferecendo a versão de papel biodegradável, de bambu ou até mesmo de inox, que podem ser lavados e reutilizados. Mas um empresário resolveu fazer algo diferente e trouxe uma ideia de Barcelona, na Espanha. Rafael Camargo tem uma loja especializada em utilidades domésticas e investiu em canudinhos comestíveis. E tem de diversos sabores. "Os canudos chegaram há cerca de um mês no Brasil. Esse primeiro lote a gente investiu R$ 1 milhão, e claro que a gente vai investir o que for necessário para atender o mercado do Brasil inteiro", explica Rafael. Para o consumidor, o canudo comestível custa R$ 1,99. Já para empresas o preço pode baixar de acordo com a quantidade da compra. Um restaurante em São Paulo já começou a usar o produto. "Eu avaliei, provei e coloquei na minha casa. Treinei meus funcionários e hoje é um item importantíssimo na minha casa e os clientes estão adorando porque tem sabores", diz Luisa Saliba, dona do restaurante. O canudo comestível é feito com amido de milho, açúcar e gelatina. Não tem glúten e nem lactose. Dura em média 40 minutos e é vendido em oito sabores. "A gente acreditou nesse produto e por ser um bem de consumo, um produto onde a pessoa vai consumir e não vai gerar nenhum tipo de lixo, a gente acredita que seja um produto fantástico como negócio e também é um produto sustentável que não vai fazer nenhum mal à natureza", diz o empresário Rafael Camargo, responsável por trazer a novidade para o Brasil. SORBOS CANUDO COMESTIVEL GRUPO MARCAMIX Telefone: (11) 3195-8233 Email: querocomprar@canudocomestivel.com.br Site: https://www.canudocomestivel.com.br/ RESTAURANTE ROTA DO ACARAJE Site: http://www.rotadoacaraje.com.br/site/ Telefones: (11) 3668-6222 |3825-3984 | 2528-7304
    • 25/08/2019 10:43
      Papa pede compromisso global para combater queimadas na Amazônia
      Pontífice disse neste domingo que a Amazônia é "um pulmão florestal vital" para o planeta e pediu que os incêndios que afetam a área "sejam controlados o mais rápido possível". Combate às queimadas é consenso entre líderes no encontro do G7 O papa Francisco pediu neste domingo (25) um compromisso global para combater as queimadas na Amazônia que, para ele, é essencial para a saúde do planeta. "Estamos todos preocupados com os grandes incêndios que ocorrem na Amazônia. Vamos orar para que, com o empenho de todos, possam ser controlados o mais breve possível. Esse pulmão florestal é vital para o nosso planeta", disse ele a milhares de pessoas, na Praça de São Pedro, depois da tradicional oração do Angelus. A manutenção do regime de chuvas e a biodiversidade, a floresta amazônica não pode ser considerada o pulmão do mundo porque ela consome a maior parte do oxigênio que produz, segundo estudos científicos. O oxigênio da atmosfera é produzido principalmente pela flora marítima. As florestas também retêm dióxido de carbono, o principal gás de efeito estufa. Quando acontecem as queimadas, a liberação de CO2 acelera o desequilíbrio do clima. São milhões de toneladas de gás elevando a temperatura média do planeta, fora o impacto causado na qualidade do ar das cidades. O papa argentino, que organizará uma grande conferência mundial sobre a Amazônia neste ano, pediu aos 1,3 bilhão de católicos do mundo que "rezem para que, graças ao empenho de todos, esses incêndios se extingam o mais rápido possível". Francisco, eleito pontífice em março de 2013, se reuniu em maio com o chefe indígena Raoni, que foi à Europa para alertar sobre o desmatamento na Amazônia. Em sua encíclica "Laudato si", em maio de 2015, o papa denunciou a exploração da floresta amazônica por "enormes interesses econômicos internacionais". Em janeiro de 2018, o papa visitou Puerto Maldonado, uma cidade no sudeste do Peru, cercada pela floresta amazônica. O pontífice repudiou o que chamou de "forte pressão de grandes interesses econômicos que cobiçavam petróleo, gás, madeira, ouro e monoculturas agroindustriais". Duas importantes organizações de bispos católicos divulgaram, nesta semana, notas demonstrando preocupação com o aumento das queimadas na Amazônia. Na sexta-feira (23), a Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) pediu "providências urgentes" para conter os "absurdos incêndios" e o Conselho Episcopal Latino-americano (Celam) afirmou na quinta-feira (22) que as queimadas têm "proporções planetárias". As queimadas na Amazônia estão entre os temas centrais da cúpula do G7, que está sendo realizada em Biarritz, no sudoeste da França. As queimadas tiveram destaque no primeiro dia do encontro. O grupo dos países mais avançados do mundo foi unânime em dizer que é preciso cuidar da floresta, mas se dividiu sobre qual deve ser o impacto do assunto no acordo comercial entre Mercosul e União Europeia. No sábado, o presidente do Conselho Europeu, Donald Tusk, questionou a ratificação do acordo comercial entre a União Européia e o Mercosul se o Brasil não combater esses incêndios. O presidente francês, Emmanuel Macron, afirmou que uma das suas prioridades no evento será mobilizar ?todas as potências, em parceria com os países da Amazônia?, para combater o desmatamento e investir no reflorestamento. ?A Amazônia é nosso bem comum. Estamos todos envolvidos, e a França está provavelmente mais do que outros que estarão nessa mesa [do G7], porque nós somos amazonenses. A Guiana Francesa está na Amazônia?, afirmou Macron, em cadeia nacional antes do G7. O Ministério da Economia aprovou, no sábado (24), a liberação de R$ 38,5 milhões para o combate de queimadas na região da Amazônia. Initial plugin text
    • 25/08/2019 10:36
      Gusttavo Lima amanhece pelo 3º ano seguido na arena de Barretos e serve até petisco aos fãs
    • 25/08/2019 10:35
      Imparh abre inscrições para curso de Português Instrumental
    • 25/08/2019 10:30
      Avenida Paulista tem sessão de cinema em van com energia solar neste domingo
    • 25/08/2019 10:29
      Receita Nosso Campo: aprenda a fazer um bolo de ricota e castanhas
    • 25/08/2019 10:25
      Lâmpadas de led são usadas para iluminar plantações
    • 25/08/2019 10:21
      Usinas retomam plantio manual de cana-de-açúcar